o 5º dia em “arte-factos da minha história”

 

Esta talha de barro esteve muitos anos guardada numa arrecadação da casa dos meus avós. Lembro-me que tinha medo de entrar naquela arrecadeção, pois era muito escura, o chão era de terra, as paredes de pedra e, a todo o momento, eu esperava que um fantasma me surpreendesse. Assim sendo, eu não conseguia passar da porta. Ficava ali colada ao chão.

Quando fizemos obras na casa esta talha voltou a mostrar a sua cor de terra com a ajuda da luz do dia. A sua função, em tempos, foi guardar o vinho e depois, como vos contei, ficou adormecida durante outros tempos e, nos anos 90, passou a ter uma função decorativa. Como está num sitio de passagem, gosto de sentir, ao passar por ela, o aroma das plantas do campo. Por isso, sempre que aparo a alfazema ou o alecrim que crescem no quintal, trago uns ramos e adorno-a misturando umas flores secas que os senhores do campo vendem em Junho nos mercados.

Anúncios

2 thoughts on “o 5º dia em “arte-factos da minha história”

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s