Pequeno passeio

 

Ontem, eu e duas amigas combinamos ir a uma piscina onde reinam a calma e os passarinhos.

Às 10 horas estávamos na esplanada em frente à minha casa tomando um café. De repente o vento começa a soprar e o sol a esconder-se. Bom, começamos a olhar para o céu na esperança de ver um indício de retorno do céu azul, mas não, não encontrámos esse indício. Não desistimos! Caminhámos para o carro e fomos à procura do céu azul! Mas, à medida que percorríamos a estrada que nos levaria à piscina, o céu continuava teimosamente encoberto, contrariamente às previsões meteorológicas do dia anterior…

Perante este facto, resolvemos substituir a preguiça, a sesta debaixo do chapéu de sol, a leitura das páginas de um livro e o banho na piscina por um passeio na serra, pois, as estradas e os caminhos que por aqui existem são calmantes naturais e, de vez em quando, gostamos de rolar por eles.

Com os nossos telemóveis gravámos as imagens da história que passo a contar-vos

Ao rasgarmos a serra, encontrámos este campo salpicado de papoilas,

e esta cabana que serviu para guardar utensílios agrícolas.

Chegámos à estação da Beirã à hora marcada neste relógio de pé.

A estação estava vazia…

Ah! Afinal não estava vazia, não! Estavam lá estas duas raparigas saturadas de esperar pelo comboio!

Hummm! não havia comboio à vista…

Montámo-nos nesta mota e viajámos até Espanha! 😉

Estou a brincar 🙂

Depois de visitarmos aquela estação lindíssima, forrada de histórias pintadas de azul e que em tempos já viu passar viajantes nos sentidos Portugal/ Espanha/Portugal – Ramal de Cáceres, fomos a Espanha, mas de automóvel, com o objectivo de atestarmos o depósito de gasóleo que, naquele país, continua a ser mais barato que em Portugal.

Histórias pintadas de Azul, um exemplo:

A faina na praia da Nazaré quando os barcos eram puxados por juntas de bois

Em Espanha, estacionámos o automóvel em frente a uma igreja de Valência de Alcântara, sentamo-nos nos seus degraus e eu fotografei esta torre, a base de um ninho de cegonha

Regressamos a Portugal e parámos na Portagem, uma pequena freguesia do concelho de Marvão que tem esta bonita piscina de água naturalmente gelada, a água do Rio Sever. Deitamo-nos na relva depois de comermos o lanche, dormitámos, fomos mordidas por bicharocos e, nesse momento, decidimos ir embora antes que nos atacassem mais!!

Foi então que fomos surpreendidas pela chegada destas motorizadas que eu detestava quando era jovem. Detestava, porque faziam um barulho estridente!! Desde muito pequenina e até aos 27 anos morei  num 2º andar dum edifício colado à Estrada Nacional Nº 1. Eu sentia os barulho destas motorizadas à distância e começava a ficar com os cabelos em pé…o auge dos cabelos em pé acontecia quando elas passam em frente da minha varanda e, depois, era só desejar que o tempo apagasse aquele som irritante que só se calava lá nos confins da estrada!!

Ontem achei-lhes graça porque estavam sossegadinhas e caladinhas 🙂 pelos vistos, são relíquias!

Tcháau!!

Advertisements

11 thoughts on “Pequeno passeio

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s