Ancoradas

 

Numa praia do Algarve, no concelho de Tavira, vive um cemitério muito especial, o “Cemitério das Âncoras” que dorme no cordão dunar desta praia desde 1966, o ano da última armação do atum.

A viagem até à praia é conduzida neste comboio que atravessa a Ria Formosa. É um comboio muito arejado, feito em ferro, com bancos de madeira, movido a gasóleo. Dele apreciamos o formoso braço de mar, caranguejos, aves…

A paisagem dunar, ao fundo, cobre-se de um manto amarelo de plantas cujo aroma do caril o calor quente do Verão ajuda a soltar. Estas plantas foram baptizadas de “Perpétuas das Areias” e, esta árvore, caminha até elas!!

Daqui a uns dias é para aqui que eu vou descansar deste ano que tem sido algo atribulado. “Palavras “Soltas” é uma ajuda para o encontro de forças que às vezes vão em sentido contrário.

De uma forma espontânea cruzei-me com alguns companheiros(as) que vivem noutros países e…Muito Obrigada também a vocês 🙂

Depois eu mostro-vos umas fotografias do nosso maravilhoso Algarve!

“Palavras Soltas” ficarão ancoradas aqui no Alentejo.

Até breve!

Advertisements

10 thoughts on “Ancoradas

  1. Obrigada… e sim, claro!!! Eu gosto muito de acompanhar um jantar com um bom vinho! tinto de preferencia. Sabes Carlos, provei há uns dias um vinho tinto da Argentina em casa de uma amiga: Ricon Del Sol. Gostei muito!
    Adeus e um grande abraço!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s