uma casa portuguesa, com certeza

Da última vez que entrei numa taberna o taberneiro limpava, de mangas arregaçadas, os moldes cor de vinho marcados no balcão de mármore. O pano, esse, já tinha sido contagiado pela cor e pelo cheiro do tinto. Os homens, habitantes fiéis de fim de tarde, olhavam-me em silêncio com o copo na mão enquanto eu pedia ao homem do lado de lá do balcão que me enchesse a garrafa. Eu rezava para que aquele momento passasse depressa, ao mesmo tempo que os meus olhos lhes diziam – não, não é para mim! eu não vou beber este vinho! é para a minha mãe temperar a comida…
que vergonha eu tinha quando a minha mãe me mandava “fazer um recado” à taberna…

No sábado estive numa taberna a beber um café e a apreciar isto, objectos castiços dispostos criteriosamente ao longo das paredes. A jarra com flores de plástico em cima da televisão, a qual descansa num suporte enfeitado com cachos de uvas também de plástico abriu gavetas da minha memória onde guardei lugares como este, tipicamente portugueses.

SONY DSC

SONY DSC

4 thoughts on “uma casa portuguesa, com certeza

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s